Cada ambiente de uma casa é projetado para uma necessidade. Enquanto o quarto é um reduto de descanso, o escritório exige atenção por ser um local de trabalho. Portanto, é necessário escolher não só a disposição dos móveis, mas também o tipo de iluminação para garantir o aproveitamento correto do espaço. Logo, uma dúvida frequente é: usar luz branca ou amarela?

Na hora de planejar a iluminação surgem algumas dúvidas, como se é possível misturar duas luzes de cores diferentes no mesmo espaço, por exemplo. Contudo, com a devida atenção aos detalhes é possível não errar na hora de executar esse planejamento. Neste artigo, mostraremos qual luz é mais adequada a cada ambiente, bem como a importância de iluminar corretamente um espaço.

Quer saber mais? Continue a leitura!

Maneiras nas quais a luz pode mudar um ambiente e os motivos para observar esse detalhe

A qualidade da iluminação interfere diretamente na sensação que um espaço oferecerá a quem vai habitá-lo. Dependendo da maneira como o projeto de iluminação de um ambiente é feito, a sua função pode mudar de forma completa. Por isso, é necessário dar uma atenção especial a esse ponto.

Por exemplo, a iluminação geral traz um efeito mais natural ao ambiente, o que o torna mais acolhedor. Já a opção direta direciona a luz para alguns pontos e tem como principal objetivo destacar detalhes. Logo, é possível concluir que a luz é a responsável por definir um espaço. Esse quesito não deve ser negligenciado, pois um ambiente iluminado de maneira incorreta pode perder a sua função primordial, inclusive, levando-o à inutilidade.

Ambientes onde a luz branca ou amarela performam melhor

Cada “cor” de luz é adequada a um ambiente. Saber disso ajudará a fazer a escolha certa para o espaço. A seguir, você conhecerá melhor sobre a luz branca e a amarela, bem como os cômodos para os quais cada uma delas é mais indicada.

Luz amarela

As lâmpadas de luz amarela transmitem uma sensação de maior aconchego e conforto a um ambiente, estimulando o relaxamento. Nesse caso, a temperatura de cor varia. O comum é que ela tenha entre 2.700K e 3.100K (kelvins). Dadas às características da luz amarela, é recomendável que ela seja reservada a espaços como quartos, salas de estar, bem como outros ambientes mais intimistas, que exigem maior conforto.

Luz branca

Por sua vez, as lâmpadas de luz branca têm um efeito oposto ao da amarela. Elas estimulam a atenção e o cuidado. Acima de 4.000K, elas já têm esse efeito. O indicado é que elas sejam colocadas em espaços como escritórios, ambientes de trabalho, mas dependendo dos hábitos de cada cliente, em cômodos da residência como banheiro, cozinha e área de serviço.

É possível misturar luz branca e amarela no mesmo ambiente?

Sim! Caso o ambiente em questão seja utilizado para realizar duas funções, como um quarto com um home office, a utilização das duas cores é indicada. Também, é possível utilizar essa opção em uma área de convivência com espaço aberto que une a cozinha com a sala.

Independentemente de onde as luzes serão utilizadas em conjunto, para harmonizar esse espaço é indicado ter um pouco de cautela. Uma dica é utilizar spots embutidos com a luz amarela no teto para a iluminação geral e luminárias ou pendentes de luz branca em espaços específicos para iluminar somente onde é necessário.

Ainda, é possível fazer o contrário e utilizar a luz branca como iluminação principal e a amarela como pontos focais distribuídos mais nos cantos de um dos dois ambientes. Essa opção funciona melhor em casos de ambientes abertos e compartilhados.

Interferência da cor na eficiência energética

Muitas pessoas têm dúvida na hora de optar por luz branca ou amarela, pois têm receio de a eficiência energética ser reduzida. Na verdade, a temperatura de cor não influencia no consumo da lâmpada. Ou seja, ela não usa mais ou menos energia por causa da sua tonalidade, mas sim de acordo com a sua potência, que é medida em watts.

Quanto maior a potência, maior o consumo de energia elétrica. Independentemente da cor utilizada, a intensidade de luz gerada pela lâmpada é a mesma. O que acontece é que, como no aspecto de iluminação a luz branca se destaca em relação à amarela, pode dar a impressão de que o ambiente fica mais iluminado quando ela é utilizada. Por esse motivo, algumas pessoas chegam a pensar que ela gasta mais energia, o que não é o caso.

Erros de iluminação que podem ser evitados

Quando se cria um projeto de decoração de um ambiente, é preciso ter um plano bem estruturado da iluminação dos cômodos e não somente decidir entre escolher luz branca ou amarela. Contudo, devido à complexidade, é possível cometer alguns erros durante o processo. A seguir, conheça os mais comuns para evitá-los.

Utilizar luz amarela ou branca em ambientes inadequados

Como já dito, cada cor de luz serve para um tipo específico de cômodo do seu imóvel. Por esse motivo, é indicado prestar atenção na hora de instalá-las nos ambientes para não causar efeitos contrários.

Em uma cozinha, por exemplo, que é um ambiente onde a maioria das pessoas realiza serviços que precisam de uma maior atenção, o uso da luz amarela pode não ser tão indicado, já que a branca possui uma iluminação mais “fria” e direta, o que auxilia nessas tarefas. Da mesma forma, utilizar luzes brancas no quarto pode não causar o efeito de relaxamento que a amarela pode proporcionar.

Aqui, é preciso frisar que não é necessário levar tudo “ao pé da letra”. O maior erro, nesses casos, é não se sentir bem e confortável na sua própria casa. A escolha da cor da luz também depende dos hábitos dos moradores, então, leve isso também em consideração na hora de escolher.

Deixar fiações expostas

Em hipótese alguma você pode deixar fios de eletricidade expostos pelos cômodos. Além de causar acidentes gravíssimos, esse descuido com a fiação pode fazer com que as lâmpadas queimem com mais facilidade. Para evitar preocupações no futuro, faça um bom serviço com os fios ou contrate mão de obra qualificada.

Não considerar os ambientes integrados

Caso existam cômodos integrados no imóvel, a iluminação deles precisa ser harmônica. Mesmo sendo possível utilizar luzes brancas e amarelas no mesmo ambiente, é indicado haver um equilíbrio entre a iluminação central e os pontos focais, como as luminárias e os spots, por exemplo. Opte por lâmpadas que tenham a temperatura com valores aproximados, mesmo que a iluminação seja diferenciada por cores mais quentes e outras mais frias. Dessa forma, o impacto visual será o mínimo possível.

Utilizar iluminação em excesso

Independentemente da cor da luz, iluminar um cômodo em excesso é um erro que você precisa evitar a todo custo. Muita incidência de luz pode atrapalhar seus afazeres naquele ambiente e, além disso, ficar exposto à claridade exagerada pode gerar dores de cabeça.

Dito isso, é só ter o projeto arquitetônico em mãos para poder partir para o projeto de iluminação e se decidir pela luz branca ou amarela. Quando ambos conversam entre si, fica mais fácil garantir que o espaço será bem iluminado, recebendo a quantidade de luz adequada à proposta independentemente de ela requerer maior conforto ou atenção.

Uma boa forma de utilizar lâmpadas, independentemente da cor ou potência delas, é em luminárias pendentes. Confira 4 dicas incríveis de como usá-las!

Powered by Rock Convert