A iluminação é uma das mais poderosas ferramentas da arquitetura. Ela não só comunica, como também cria uma atmosfera diferenciada no local em que é aplicada e destaca os elementos certos. Mas você sabia que ela também tem influência fisiológica no nosso organismo? Isso graças ao ciclo circadiano!

Ficou curioso para saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e veja como esse ciclo nos afeta e a sua ligação com a iluminação!

O que é o ciclo circadiano?

O ciclo circadiano, ou ritmo circadiano, é basicamente o relógio interno de 24 horas sobre o qual se baseia o funcionamento do cérebro e do organismo. Ele é influenciado pela variabilidade da luz, da temperatura e de outros elementos externos. No entanto também pode ser entendido como o ciclo do sono.

Para elucidar melhor, o ser humano tem picos de queda de energia, que, geralmente, ocorrem na madrugada e logo após o almoço. Isso pode mudar dependendo dos seus hábitos, mas, de maneira geral, o ciclo circadiano não sofrerá impacto se o sono estiver regulado com as suas atividades.

Como ele funciona?

Como dissemos, o ciclo circadiano tem 24 horas. A cada ciclo, as funções do nosso corpo são influenciadas, desde a temperatura e os níveis hormonais (cortisol, melatonina etc.) até a nossa sensibilidade. É ele que mantém o corpo em alerta durante o dia e o ajuda a relaxar durante a noite.

Entretanto ele atua de forma diferente em pessoas matutinas, vespertinas e noturnas. Por isso, é tão importante conhecer o seu ritmo para poder adaptá-lo à sua realidade. Independentemente disso, é fundamental que a pessoa tenha horas de sono saudáveis, a fim de que os hormônios sejam regulados.

Ter uma alimentação adequada também é fundamental para o funcionamento do organismo. A ingestão de alimentos saudáveis e com horários regulados contribui para que o ciclo entre em seu próprio ritmo e produza efeitos benéficos para o corpo e a mente.

Por que é importante, para a nossa saúde, que respeitemos esse ritmo?

O ciclo circadiano tem influência direta no organismo. Isso porque é ele que determina o horário em que estamos mais dispostos, tendo relação direta com a digestão, a atenção e o estado de vigília.

Quando ele não é respeitado, pode trazer uma série de malefícios para o corpo, como estresse, irritabilidade, baixa capacidade criativa e ansiedade, além de causar distúrbios no sono, como sonolência excessiva e insônia.

Esse é um ciclo natural e que tem grande influência nas mais variadas funções do organismo, afetando, assim, uma série de aspectos que podem causar distúrbios e até doenças mais sérias.

Como o ciclo influencia no desenvolvimento de doenças metabólicas?

Quando esse ciclo está mal regulado, é comum que sur problemas. Eles afetarão não apenas a produtividade e as tarefas do dia, mas também a qualidade do sono. Os distúrbios do sono são as consequências mais frequentes, que resultam em insônias ou em sonolência excessiva durante o dia ou noite.

Por ser responsável por sincronizar o organismo e ajustar a temperatura corporal, função intestinal, função imunológica, hormonal e outros mecanismos do corpo, um ritmo circadiano desregulado pode trazer doenças metabólicas. Além de distúrbios no sono, é possível que ocorra ganho de massa e até mesmo obesidade.

Powered by Rock Convert

Porém essa desregulação também leva a problemas muito mais graves, entre eles estão a diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. Com o ciclo desalinhado, a predisposição a esses distúrbios aumenta bastante.

Como prevenir os distúrbios do ciclo circadiano?

Há várias maneiras de prevenir esses distúrbios, e os cuidados e precauções são os principais. São diversos fatores que influenciam para que o ciclo não se desregule, como ter uma alimentação saudável e rica em vitaminas, bem como ter horários certos para cada refeição. Esse ponto é essencial, já que o ciclo pede um ritmo (ou, uma rotina) para que organismo se acostume e funcione direito.

Outro aspecto primordial é a iluminação. Nossos antepassados estavam acostumados com 12 horas de sol por dia e 12 horas de escuridão durante a noite. Mas, com o tempo, descobrimos outras maneiras de manter a luz durante a noite, principalmente as artificiais.

Com a influência da luz é produzido o hormônio cortisol, que age para aumentar a vigília. Contudo ele deve ficar baixo na parte da noite, para que o corpo relaxe e entre no processo de descanso produzindo melatonina. Só que com o estímulo das luzes, a produção desses hormônios fica comprometida e altera o ciclo circadiano, pois o cérebro interpreta que ainda não é o momento para dormir.

Como a temperatura da cor influencia no ciclo circadiano?

A temperatura da cor tem um papel essencial no nosso ciclo circadiano. Quando falamos de temperatura, não estamos nos referindo ao calor físico emitido, mas sim à cor da luz emitida. Podemos dizer que as luzes são quentes ou frias, de modo que as quentes consistem nas luzes mais amareladas e as frias são as luzes brancas.

As luzes de alta temperatura (brancas e azuladas) são responsáveis por melhorar o desempenho e a produtividade, geralmente, ligados à luz do dia. Já as temperaturas mais baixas têm a função de diminuir o ritmo cerebral, avisando que é hora de dormir.

Um exemplo é a lâmpada incandescente de 40W, que tem a temperatura de 2680K. Já a fluorescente branca fria, tem a temperatura de 6.000K. Ou seja, a primeira tem baixa temperatura, mas é quente. E a segunda tem alta temperatura mas é considerada uma luz fria. É importante fazer essa distinção para não errar na escolha da lâmpada.

Como usar as lâmpadas adequadas e quais os benefícios da utilização correta para a nossa saúde e disposição?

Como vimos, a temperatura da cor tem influência diretamente no ciclo de cada pessoa. Para que elas possam colaborar de maneira positiva, é preciso ter em mente que o ciclo circadiano processa 12 horas de escuro e 12 horas de claridade.

As altas temperaturas de cor são aquelas usadas em ambientes de trabalho. Nesse caso, a luz branca fria é a ideal a ser aplicada em espaços corporativos, como escritórios. Já as baixas são usadas em locais de relaxamento. Aqui, a luz branca morna(2.700k) é a opção mais adequada e serve para aplicação no quarto, por exemplo.

É por isso que diversos estudos apontam a importância de não se conectar a dispositivos móveis antes de dormir. Isso porque eles emitem a luz azul, que tem uma alta temperatura de cor, atrapalhando diretamente a qualidade do sono.

No quarto, por exemplo, o ideal é contar com uma iluminação mais amarelada e indireta, mais similares ao nascer e ao por do sol e, por isso, contribuem para o relaxamento e o conforto. Já em escritórios e áreas que exigem atenção, como hospitais, as ideais são as lâmpadas brancas, pois elas emitem sinal de alerta para o corpo e “imitam” a luz do sol ao meio dia quando o hormônio cortisol está em seu ápice no nosso organismo.

Ao usar corretamente essa disca de iluminação no seu dia, você verá benefícios no seu ciclo circadiano. Entre eles, menor propensão ao estresse, maior qualidade do sono e relaxamento (o que ajuda na regeneração do organismo) etc.

E então, gostou do nosso artigo? Viu que precisa fazer alterações na iluminação da sua casa ou local de trabalho? Entre em contato conosco e conheça os nossos serviços!