Criar uma iluminação bela e aconchegante dentro de casa é um desafio que requer um pouco de pesquisa. Você sabia, por exemplo, que uma excelente forma de economizar tempo e dinheiro é investir no LED? Afinal, ele é menos agressivo ao meio ambiente e garante uma qualidade de luz superior à dos outros tipos de lâmpadas. Mas, então, como funciona o LED?

Pensando em ajudá-lo a construir um ambiente mais confortável na sua casa, desenvolvemos este artigo com as principais informações sobre o LED e seu sistema de funcionamento. Boa leitura!

O que são as lâmpadas LED?

Criado em 1963 por Nick Holonyac — e desde então aprimorado por outros cientistas —, o LED (Diodo Emissor de Luz) nada mais é do que um componente eletrônico semicondutor capaz de transformar a energia elétrica em luz.

Assim, ele não necessita de gases tóxicos, raios ultravioletas e consumo de filamentos metálicos para iluminar determinado ambiente, já que o seu processo de formação de luz é por meio da transformação de energia.

Quais são seus benefícios?

O LED é eficiente sem colocar em risco a saúde dos usuários, tendo em vista que a sua composição é diferente da das lâmpadas tradicionais. Mas não é só isso! A seguir, confira outros benefícios:

Qualidade da luz

Por utilizar a transformação da energia elétrica, as lâmpadas LED apresentam alta eficiência sem emitir raios ultravioletas e infravermelhos. Isso promove uma iluminação de qualidade, preenchendo todo o ambiente e, de quebra, colocando a sua saúde em primeiro lugar.

Economia

O diodo emissor de luz é uma opção que traz benefícios econômicos em longo prazo. Embora o seu custo inicial seja maior, o LED apresenta uma vida útil muito superior à das lâmpadas tradicionais, além de diminuir o consumo de energia da sua casa.

Como funciona o LED?

No início deste artigo, explicamos que o diodo emissor de luz utiliza a transformação de energia elétrica como base para iluminar qualquer ambiente. Mas, afinal, como isso acontece dentro do produto?

Se você ainda não sabe, confira a seguir como ocorre o processo de formação de luz na lâmpada LED.

Material semicondutor tipo p

O LED é caracterizado como diodo e, por isso, apresenta um material semicondutor tipo p, isto é, um sistema que apresenta duas polaridades distintas: uma que tem excesso de elétrons e outra dopada com sua falta.

Quando esses dois sistemas se juntam, criando uma região ativa, os elétrons da polaridade excessiva são transferidos para a outra região — aquela que não tem elétrons suficiente. Então, a partir dessa polarização, a movimentação da corrente elétrica permite a emissão de luz.

Fita de LED

Vale lembrar que esse processo de polarização ocorre dentro de uma fita, com o intuito de garantir a segurança de quem utiliza esse produto e permitir uma iluminação eficiente para o cômodo.

Ausência de filamento

Por fim, é importante ter em mente que a lâmpada LED só funciona com qualidade e eficiência por não apresentar um filamento. Dessa forma, ela não produz tanto calor quanto as tradicionais e, então, é mais durável.

Quais são os principais tipos LED?

Até agora, você viu como funciona o LED e quais são as suas vantagens. Vale ficar atento, ainda, aos diferentes tipos de LED que podem potencializar a iluminação da sua casa, criando um lar convidativo e aconchegante.

A seguir, você pode conferir uma lista dos principais tipos de LED e encontrar o modelo que mais combina com você e sua família.

  • fitas de LED;
  • LED bicolor;
  • matriz de LED;
  • refletores;
  • spots;
  • LED de alto-brilho.

Ficou claro como o diodo emissor de luz traz mais qualidade para você e sua família? Entender como funciona o LED, quais são seus principais benefícios e tipos de produto é fundamental para montar um bom projeto luminotécnico, alinhando custo-benefício com qualidade de vida.

E então, o que achou do nosso artigo? Aproveite para continuar o seu aprendizado e conheça também as diferenças entre iluminação funcional e decorativa!

Powered by Rock Convert