Cada cômodo da casa tem as suas especificidades e necessidades, mesmo que todos sigam um mesmo estilo de decoração. Elementos como a iluminação podem variar entre um quarto e um escritório, por exemplo. Logo, é fundamental conhecer como funciona a iluminação indireta e direta.

Neste artigo, discutiremos sobre a diferença entre esses tipos de iluminação, suas funcionalidades e também daremos algumas dicas de como escolher as luzes corretas para cada cômodo, valorizando ainda mais a arquitetura local. Confira!

Diferenças entre iluminação indireta e direta

A principal função da luz direta é iluminar um ponto específico de maneira intensa. Por exemplo, ela é bastante utilizada para chamar a atenção para um objeto decorativo, especialmente quadros e esculturas. Além disso, é a opção perfeita para ser colocada sobre mesas de escritório, que servem para estudo e trabalho. No entanto, o seu uso também pode ser aplicado a banheiros e até cozinhas.

A luz indireta, por sua vez, tem como função iluminar um espaço de maneira uniforme e suave. Ou seja, o seu foco é projetado em uma superfície qualquer, apenas para criar o reflexo que clareará todo o ambiente. Ela traz mais aconchego para o espaço. Por isso, o ideal é que seja utilizada em locais de convivência, como salas de estar e jantar, mas também nos quartos, por transmitir uma sensação de conforto.

Efeitos dos diferentes tipos de iluminação

Em locais que exigem concentração, a luz direta funciona como uma aliada por iluminar exatamente o que é necessário. Já nos espaços em que o conforto vem em primeiro lugar, a luz indireta cumpre melhor função, justamente por contrapor sombras e criar efeitos únicos, dando mais suavidade à iluminação.

Powered by Rock Convert

É por isso que é tão importante ter cuidado na hora de escolher qual iluminação será usada em cada ambiente, para que você e a sua família possam tirar o máximo proveito dele.

Dicas para escolher a iluminação certa para cada ambiente

Confira algumas dicas que o ajudarão na hora de escolher entre a iluminação indireta e direta.

Analise a funcionalidade do cômodo

A primeira coisa a ser levada em consideração é a função do cômodo e os tipos de atividades que serão feitas nele. Por exemplo, uma sala de televisão precisa ser aconchegante e mais intimista para integrar as pessoas que ali estão. Logo, a iluminação indireta é a mais indicada.

Saiba qual a intensidade de iluminação em cada espaço

Se a sua casa possuir espaços integrados, no caso uma sala que pode ser usada como espaço de convivência e estudos, por exemplo, vale a pena mesclar os tipos de iluminação, apostando em luzes diretas e indiretas, uma luz indireta no teto e uma luminária de luz mais direta em cima da mesa de estudo. Logo, também é interessante que haja um variador de intensidade de luz no local. Isso ajuda a criar harmonia e atender às diferentes necessidades da família.

Spots, arandelas, luminárias: diferentes elementos podem ser utilizados na hora de criar a iluminação indireta ou direta. Por isso, é necessário estudar com cuidado cada espaço para criar o efeito de luzes mais adequado.

Nesses casos, o ideal é contar com uma empresa especializada em projetos de iluminação. Com isso, as chances de erro são quase nulas. Quer saber mais sobre o assunto? Leia o nosso artigo “3 benefícios de contar com uma empresa de iluminação no seu projeto” e conheça os benefícios dessa parceria!