Iluminação de ambientes: Saiba aqui os 4 erros que você não pode cometer

Iluminação de ambientes: Saiba aqui os 4 erros que você não pode cometer

Você já parou para pensar como a iluminação de ambientes é importante na decoração? Em um ambiente, além das peças decorativas, a forma como a luz é projetada dentro dele exerce diversas funções — desde iluminar o cômodo por completo até dar destaque para uma parte do ambiente ou um móvel específico — e pode causar sensações diversas, como relaxamento em ambientes como quartos e salas ou completa atenção, como nos escritórios ou cozinhas.

Neste post, separamos alguns dos principais erros em relação a esse assunto para que você não os cometa quando for planejar a iluminação do seu imóvel. Confira!

1. Não observar a finalidade de cada espaço

Cada ambiente é projetado com a finalidade de atender a alguma necessidade e, por isso, a iluminação projetada para ele deve ser pensada para atender a funcionalidades específicas. Uma lâmpada de cor ou temperatura errada pode causar desconforto ou improdutividade.

Pense nos ambientes. Colocar uma iluminação na cozinha que utilize luzes mais fracas ou amareladas pode causar acidentes. Já em um quarto ou uma sala de TV, uma luz muito clara e branca pode incomodar quem passar algum tempo dentro desses cômodos. Por esse motivo, um bom planejamento é necessário.

2. Não utilizar outras fontes de luz no ambiente

Muitas vezes, somente uma fonte de luz não é suficiente para a iluminação de ambientes e isso pode fazer com que algumas partes deles fiquem no escuro. Para resolver esse problema, a solução é apostar em focos de luz para destacar certas áreas.

Em uma sala, por exemplo, o ideal é ter a iluminação central e alguns pontos de luminância próximas a uma área de leitura. Já em um quarto que tem dupla função, como um home office, a dica é apostar em uma iluminação para cada área.

3. Não fazer um bom planejamento e utilizar spots de luz em excesso

Em contrapartida ao tópico anterior, luz em excesso nos cômodos também pode ser um erro, principalmente em relação aos spots que são colocados no teto. A impressão é de que quanto mais deles forem instalados, mais luminosidade vai gerar, certo?

Errado! Não é bom confiar nesses objetos como fonte de grande iluminação, porque eles não iluminam as paredes. Instalar vários deles só vai gerar um grande desperdício de energia elétrica e, ainda assim, o ambiente pode não ficar tão bem iluminado. A dica é utilizar os spots para iluminar certos pontos e objetos que merecem destaque, como um painel de TV ou quadros e fotos em uma parede.

4. Não tomar cuidado com a fiação

Esse é um ponto que merece bastante atenção, porque qualquer erro relacionado aos fios elétricos pode causar acidentes graves. Outro ponto a ser considerado é em relação a quanto tempo a instalação foi feita. Isso porque fios muito antigos podem contribuir para o aumento na conta de energia e fazer com que as lâmpadas queimem com mais facilidade.

Por isso, a contratação de um bom profissional para realizar esse serviço é imprescindível. Qualquer tipo de gambiarra pode gerar muita dor de cabeça e gastos desnecessários no futuro. Ainda em relação a esse assunto, é bom salientar que é extremamente importante realizar a verificação da fiação periodicamente para evitar problemas.

Como você pôde perceber, é de extrema importância saber o que fazer quando o assunto é iluminação de ambientes. Dessa forma, é possível projetar o melhor de cada espaço e fazer com que cada cômodo desempenhe sua função da melhor maneira possível.

Gostou do assunto do texto? Então aproveite para descobrir 5 dicas incríveis para ampliar ambientes pequenos!

Vale a pena usar lâmpada tubular de LED? Descubra as vantagens e desvantagens

Vale a pena usar lâmpada tubular de LED? Descubra as vantagens e desvantagens

Led light tube vs fluorescent light tube on blue background

Os avanços tecnológicos não param, continuam gerando melhorias para as empresas e, também, para os espaços domésticos. Essas benfeitorias vêm mostrando-se presentes nos avanços da otimização e do uso das energias não renováveis.

Logo, a lâmpada tubular de LED vem ganhando espaço ao substituir as tradicionais tubulares normais. Isso porque são mais eficientes, sustentáveis e econômicas. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue com a gente! Vamos explicar tudo neste post. Confira!

Como funciona e onde pode ser usada a lâmpada tubular de LED?

As luzes de LED (light emitting diode) – diodo emissor de luz – são semicondutoras de energia, que emite luz visível quando energizadas. A maior parte da energia utilizada é transformada em luz, e uma parcela pequena, cerca de 5%, é transformada em calor. Essa é a principal diferença entre a lâmpada tubular de LED e a tubular normal.

Ou seja, ela consome menos energia, emite mais luz visível e emana menos calor. É mais comum em espaços empresariais, já que tem maior alcance, não altera a temperatura do ambiente, tem vida útil mais longa e reage muito bem aos sensores de presença. No entanto, pode ser usada, também, em espaços residenciais, como: garagens, áreas externas e com sensores de movimento.

Quais são as principais características da lâmpada tubular de LED?

A luz de LED é um equipamento semicondutor de energia que emite luz visível quando energizada. Essa é a principal característica e o fator de maior relevância que faz com que ela seja mais eficiente em comparação a outros tipos de lâmpada. Soma-se a isso o fato de a lâmpada tubular de LED não precisar de reatores, parte do sistema elétrico que limita a corrente elétrica, evitando trocas indesejadas de corrente, uma das principais causa da queima de lâmpadas.

Por não possuir metais pesados em sua composição, como chumbo e mercúrio, encontrados em outros tipos de lâmpadas, não requer um descarte especial nem polui o meio ambiente, podendo até ser reciclada. E mais: as lâmpadas de LED não emitem radiação UV nem IV, danosas à saúde da pele.

Quais são as principais vantagens e desvantagens da lâmpada tubular de LED?

Para que os benefícios e as vantagens de utilizar uma lâmpada tubular de LED em espaços empresariais e residenciais fiquem mais nítidos, vamos apresentar as principais vantagens e desvantagens de cada uma delas:

  • dura 50.000 horas;
  • utiliza menos energia e produz mais luz, economizando na conta de energia;
  • faz com que a energia utilizada seja convertida em luz e não em calor, logo, não aquece o ambiente.
  • não possui metais pesados, danosos ao meio ambiente;
  • não emite raios UV e IV, danosos ao meio ambiente;
  • apresenta diversidade de cores disponível, melhor estética;
  • não precisa de reatores, tendo menor incidência de queima da lâmpada.

Já a principal desvantagem da lâmpada tubular de LED em relação à tubular normal é o preço para adquiri-la. Enquanto a primeira pode custar entre R$2,00 e R$ 11,00, a segunda custa em média R$ 20,00.

Não existe uma receita pronta que indique a melhor lâmpada para ser utilizada. O ideal é avaliar o uso que você necessita e os tipos de lâmpada que vão atender à sua necessidade. Por isso, é importante pesquisar com cuidado os preços, a iluminação ideal, a eficiência energética, a durabilidade etc.

Esperamos que este artigo tenha sido útil para sanar suas dúvidas e ajudar a saber se vale a pena utilizar a lâmpada tubular de LED. Ainda ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários que vamos responder.