Como usar luminárias de piso? 4 dicas para escolher a ideal

Como usar luminárias de piso? 4 dicas para escolher a ideal

Em uma residência, diversos efeitos podem ser trabalhados com o uso correto da luz. Isso é possível graças à variedade de equipamentos e recursos disponíveis no mercado. Às vezes, são tantas opções que fica difícil escolher a melhor. Você saberia dizer, por exemplo, como usar luminárias de piso?

Criamos este artigo para responder a essa pergunta e dar dicas de composição com diferentes modelos. Que tal conferir todas elas? Fique conosco e veja como começar o seu projeto!

1. Considere o estilo da casa

O primeiro passo para encontrar a luminária de piso ideal é observar as características do ambiente. Considere detalhes estéticos: cores, tecidos, design dos móveis, objetos decorativos e também as preferências dos moradores.

Essas luminárias, também conhecidas como de chão ou de coluna, podem criar iluminação direta ou servir como complemento de uma iluminação indireta. Logo, são indicadas para todo tipo de ambiente, desde salas e quartos — que demandam uma atmosfera acolhedora — até varandas abertas.

Para não errar na escolha, procure um modelo que tenha a mesma linguagem trabalhada na casa. Se o estilo predominante é o minimalismo, uma luminária simples e com cor neutra será perfeita. Já um espaço com tema clássico pede um exemplar mais tradicional, com cúpula e ornamentos.

2. Avalie as condições do ambiente

Prática e versátil, a luminária de piso pode ser ligada em qualquer tomada. Isso traz o benefício da mobilidade, que permite levar o item a qualquer lugar da casa. Mas atenção: nem todo modelo deve ser usado em áreas internas e externas.

Tenha em mente que alguns materiais podem se degradar em contato com intempéries. Afinal, lugares abertos e desprotegidos deixam a luminária exposta à umidade da chuva, à poeira trazida pelo vento e ao ressecamento causado pelo sol.

Assim, observe as condições de cada ambiente antes de definir o material estrutural e o acabamento de sua luminária de piso. Modelos com cúpula de tecido, fibras naturais e madeira caem bem em lugares fechados, enquanto peças mais resistentes, de vidro, acrílico ou alumínio, podem ser usadas em qualquer lugar.

3. Defina a altura ideal da luminária

Ao pensar em como usar luminárias de piso, você também precisa levar em conta a altura dos equipamentos. Isso será determinante para o conforto dos usuários.

Existem várias opções: de corpo inteiro, com curvatura, em forma de tripé ou com cúpula da base ao topo. Posicionada estrategicamente ao lado da cama ou sobre uma poltrona, por exemplo, sua luminária pode fornecer a luz ideal para uma leitura agradável.

Uma boa maneira de estabelecer o tamanho correto é pensar na utilidade da luminária. Se o objetivo é apenas criar iluminação indireta em uma sala, você pode apostar em um modelo grande (entre 150 e 180 cm de altura) que fique no canto do cômodo.

Outra possibilidade é investir em luminárias articuláveis. Elas apresentam hastes flexíveis, permitindo regular a altura e a direção do fluxo luminoso. Essa é a solução ideal para quem procura um item versátil que se adapte a diferentes necessidades.

4. Escolha a lâmpada adequada 

Após encontrar a luminária perfeita, é hora de pensar no tipo de lâmpada que trará a luz adequada ao ambiente. Para isso, você precisa entender o efeito das cores na percepção do ambiente e as sensações que elas transmitem.

Uma luz branca é mais fria, artificial e monótona. Por manter o estado de alerta, é ideal para espaços que demandam foco e concentração, a exemplo de áreas de serviço, cozinhas e escritórios. Já a luz amarelada é visualmente agradável por trazer calor e conforto — ambos desejados em quartos, banheiros e salas de estar.

Para encontrar uma lâmpada com tonalidade parecida com a que você deseja, fique de olho no Índice de Reprodução de Cor (IRC) do produto. Quanto mais perto esse número estiver de 100, mais fiel será o tom escolhido.

Pronto! Você já sabe como usar luminárias de piso e pode buscar o modelo ideal. Se deseja combinar os benefícios dessa solução com economia, basta optar pelas lâmpadas de LED, que são mais eficientes.

Agora, que tal entender como a potência da lâmpada influencia na iluminação? Aproveite a leitura para se informar sobre o assunto!

Afinal, como fazer o descarte de lâmpadas corretamente?

Afinal, como fazer o descarte de lâmpadas corretamente?

Fazer o descarte de lâmpadas corretamente é fundamental para manter o equilíbrio do meio ambiente, porque descartá-las no lixo comum pode disparar elementos tóxicos na natureza, além de trazer riscos à saúde de quem lida diretamente com o lixo. Mas, afinal, como jogá-las fora?

Se você ainda não sabe o que fazer, fique tranquilo: neste artigo, respondemos as principais dúvidas sobre o assunto para ajudá-lo a descartar corretamente esses resíduos. Confira!

Existe alguma legislatura para o descarte de lâmpadas?

Sim! Por se tratarem de componentes sólidos que apresentam riscos à saúde da população e ao meio ambiente, a constituição brasileira apresenta leis em relação ao descarte de elementos tóxicos como as pilhas e lâmpadas.

A principal delas é a Lei 12.305/2010, conhecida como Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Ela explica que todas as instituições que fazem a venda desses produtos devem apresentar estratégias de retorno, permitindo que o consumidor entregue lâmpadas queimadas e quebradas após o uso.

Como descartar lâmpadas LED, fluorescentes e halógenas?

Independentemente se foram utilizados ou não, todos os tipos de lâmpadas podem — e devem! — ser devolvidos após a utilização para passar por processos de limpeza e reaproveitamento. Entretanto, existem algumas especificidades para cada tipo de lâmpada, já que existem algumas que contêm elementos tóxicos. A seguir, você pode conferir como jogá-las fora do jeito adequado:

LED

As lâmpadas LED têm uma grande eficiência energética e apresentam menos gastos elétricos. Além disso, garantem altos níveis de reciclagem, permitindo o descarte consciente. Para isso, basta levá-las às empresas especializadas, evitando jogá-las no lixo tradicional.

Halógenas

Quem não utiliza LED, normalmente opta pelas lâmpadas halógenas em função do baixo preço no mercado, da durabilidade e da alta potência. Embora sejam compostas de vidro, metal e gás halogênio, se quebrada, pode trazer riscos à saúde em função do vidro borossilicato — desenvolvido com alguns metais pesados —, além de não serem recicláveis.

Para fazer o seu descarte, o ideal é procurar polos especializados ou retornar à empresa de fabricação. Essa regra vale para lâmpadas incandescentes, apesar de terem sua comercialização proibida.

Fluorescentes

Muito utilizadas nos comércios, as lâmpadas fluorescentes apresentam mais eficiência do que as incandescentes, mas carregam componentes tóxicos como o mercúrio, prejudiciais tanto para os humanos quanto para a natureza.

Para descartá-las, procure uma empresa voltada para esse tipo de elemento, manuseando-as com cuidado. Aqui, a regra de não a jogar no lixo comum é muito importante, já que os danos causados por ela são altos.

O que fazer quando a lâmpada se quebra?

Caso o acidente tenha acontecido com materiais de LED ou halógenas, é importante limpar a região e prestar atenção nos cacos de vidro para não causar ferimentos. Já na quebra de lâmpadas fluorescentes, a atenção deve der redobrada. Confira algumas práticas para recolher o material sem causar danos à saúde:

  • ventile o ambiente, deixando o local aberto por pelo menos 15 minutos antes de limpar;
  • coloque luvas de alta proteção e utilize uma roupa que possa ser descartada depois, evitando o contato direto com o material;
  • armazene os resíduos em uma sacola lacrada;
  • utilize água sanitária para limpar a região e fitas adesivas para retirar os resquícios de vidro;
  • lave bem as mãos e desfaça-se de tudo que entrou em contato com o material.

Como funcionam os descartes especializados de lâmpadas?

Ao longo deste artigo, comentamos sobre a importância de levar os resíduos para locais especializados. Mas como funcionam e onde encontrá-los? Existem diversas iniciativas não governamentais que recolhem esses resíduos e você pode pesquisar e encontrar um na sua cidade.

Ainda, os fabricantes e as lojas precisam ter postos de coleta e descarte. Assim, na próxima vez que você for comprar uma lâmpada nova, pode levar as antigas e deixar com o estabelecimento.

Percebeu como é importante fazer o descarte de lâmpadas corretamente? Com pequenas atitudes, você garante um mundo mais seguro e saudável, além de promover saúde e bem-estar para você e sua família!

Gostou do nosso artigo? Conhece amigos que gostariam de entender como funciona o descarte de lâmpadas? Então compartilhe este post em suas redes sociais e ajude-os também.